1. Início
  2. Artigo
  3. Ausência do programa do Compliance impacta nos custos empresariais

Ausência do programa do Compliance impacta nos custos empresariais

Várias doutrinas do Compliance, seja de nível internacional ou nacional, são unânimes no seguinte entendimento: a empresa se torna mais eficiente quando reconhece a necessidade de implementar ações de governança corporativa e compliance. 

A justificativa é simples: o compliance é a forma de as empresas criarem mecanismos de controle e ferramentas práticas de prevenção e gerenciamento de riscos, inclusive na área financeira. Significa estar em conformidade com as normas, padrões e leis vigentes, pertinentes à atividade econômica.

Por isso, defende-se que um bom programa de compliance empresarial organiza e facilita os processos, auxiliando na gestão de dados e na análise assertiva das informações. 

E a assertiva é que a ausência de compliance tem total impacto no controle de custos das operações da cadeia logística empresarial como também impacta no passivo trabalhista.

E a  frase de Paul McNulty, ex-Procurador Geral de Justiça dos EUA, que é tão citada nos meios empresariais converge para o que aqui defendemos:  “Se você pensa que compliance é caro, experimente não tê-lo.”

Isso porque uma empresa em compliance está em conformidade com a legislação e promove a cultura de ética e integridade na relação entre a companhia e seus stakeholders (colaboradores, clientes, fornecedores etc). 

E será esse programa que gerará  a preservação e o alto valor de mercado da empresa, além de minimizar os riscos relacionados à reputação e a aspectos regulatórios, que também podem esbarrar em dificuldades se não for bem implementado.

Evidentemente que sempre é bom relembrar os benefícios do programa do compliance:

1. Proteger a organização empresarial de forma interna e externa;

2. Estabelecer uma nova cultura organizacional de cumprimento da lei, dos regulamentos internos e diretrizes da empresa;

3. Adotar um método de gerenciamento de riscos em todas as áreas da empresa;

4. Elidir e minimizar os passivos de todas as áreas da empresa;

5. Uniformizar procedimentos internos em todas as áreas da empresa;

6. Oportunizar maior gerenciamento organizacional, pessoal e financeiro da empresa;

7. Possibilitar uma maior credibilidade interna e externa da empresa;

8. Garantir a sustentabilidade da empresa no mercado interno e externo;

9. Oportunizar novas chances de linhas de crédito e preferências em licitações e contratos administrativos; 

10. Valorizar a marca da empresa. 

Diante desse quadro, a empresa em compliance oportunizará que as pessoas no meio corporativo tenham a personalidade de um “COMPLIANT” ou seja pessoas motivadas ao  respeito e cumprimento das normas legais previstas no ordenamento jurídico brasileiro como também com relação as normas de conduta internas da empresa. O resultado esperado: consolidação de uma nova cultura empresarial que atrairá benefícios de toda ordem. 

E aumenta o passivo trabalhista.

Vamos estudar?

Nenhum resultado encontrado.

Nenhum resultado encontrado.

Sua opinião é importante! Deixe um comentário!

Aprofunde seu conhecimento

Menu